quinta-feira, 8 de novembro de 2012

a minha versão de São Paulo

se tem uma palavra que pode descrever o meu 2012 é mudança. e, imediatamente depois dessa, diria viagem. algumas curtas e logo ali perto, outras, nem tanto, muitas repetidas, algumas novas, mas a verdade é que mal fiquei em São Paulo: Nova York; Buenos Aires; Salvador; Praia do Forte; Inhotim; Búzios; Florianópolis; Campos do Jordão; Santiago; mais Nova York; Ilhabela; Ubatuba; mais Campos; Juquehy; mais Búzios; mais Buenos Aires; mais Floripa; Fortaleza; São Francisco; Comandatuba; e Rio, Rio, Rio.... 

curioso é isso ter acontecido exatamente ao mesmo tempo em que eu reafirmei minha escolha de morar na capital paulista. talvez tenha sido minha forma de redescobrir São Paulo, porque hoje sei que, pelo menos no Brasil é aqui que eu quero estar. entre os cariocas que moram aqui - e por mais que mal-falem, não são poucos - a conversa habitual é sempre o quão acostumado já se está, quantos finais de semana voltam para o Rio e como prometem, em vão, que dessa vez vão ficar mais por aqui. e aí eu me pergunto: o que faz de São Paulo ao mesmo tempo tão atraente, capaz de levar tantos cariocas a abandonar sua apaixonante terra natal, e ao mesmo tempo tão difícil de aceitar? 

foi pensando nisso, e também sem saber a resposta, que eu me dei conta de como esta é uma conversa deliciosa. então veio mais um sinal, desses que fazem a gente ligar os pontos. sem motivo aparente, o post que escrevi no meu primeiro ano sobre a experiência da ponte-aérea, voltou a circular. e parece que, de alguma forma, as pessoas se identificam com ele. os que já viveram, ou vivem a mesma situação, tanto como cariocas que nunca morariam em Sp e paulistas que sequer pisaram no Rio. 

e foi aí que eu decidi - é sobre isso que vou falar, daqui pra frente, neste blog. dizem que sou uma carioca muito bem adaptada a Sp. pois eu digo que sou só mais uma carioca descobrindo e construindo a sua própria São Paulo. li em algum lugar que não existe um mundo, mas 7 bilhões de versões dele. essa, é a minha.  

Um comentário:

  1. Muito bom e com um final excelente.

    beijo,
    Livia

    ResponderExcluir